Visitante nº

sexta-feira, abril 13, 2012

Xavi responde perguntas via Twitter

 
Que o Xavi Hernandez é simpatíssíssimo isso já sabemos! Mais uma vez ele demonstrou esta qualidade ao responder milhares de perguntas dos internautas via twitter, nesta sexta-feira 13 de abril. O site do UEFA.com ofereceu aos seguidores a oportunidade fazerem uma espécie de "bate-papo" com o jogador, que é estrela do meio-de-campo do FC Barcelona e da seleção da Espanha.  A iniciativa foi um grande sucesso e a hashtag #AskXavi foi a número um do Twitter a nível mundial.

Reconhecido por todos como um dos melhores meio-campistas da Europa, Xavi respondeu as diversas questões formuladas por internautas e revelou quem ele considera como o melhor jogador de todos os tempos. Também procurou explicar a razão por detrás grande êxito do futebol espanhol e falou o colega de equipe, o jogador Thiago Alcântara. Abaixo algumas das perguntas e respostas do "chat" com Xavi.

@LamonChatburn29 : Quem é, na sua opinião, o melhor jogador de todos os tempos?

Xavi Hernández: Essa é uma pergunta difícil, porque temos sempre de comparar eras diferentes mas, se continuar assim, acredito que Leo Messi irá ser, sem dúvida, o melhor jogador da história do futebol. Tudo se desenvolve e avança muito rapidamente nos dias que correm, mas Messi está a fazer o mesmo que [Diego] Maradona fez há 20 anos e o que Pelé, [Johan] Cruyff e [Alfredo] Di Stéfano fizeram muitos anos antes. Penso que Messi vai ser o melhor de todos.

@effyschoice: O que tem a dizer a todos aqueles que comparam Thiago consigo? Será ele, de facto, o novo Xavi?

Xavi: Não gostaria que lhe dissessem isso, para não se sentir pressionado; deve procurar ser ele mesmo. Eu também vivi debaixo de comparações e não é algo que seja muito agradável. Necessita de ser quem é, e é um jogador espectacular, com qualidade para se tornar numa grande estrela, como está a demonstrar. É já um jogador importante para o Barcelona, está a disputar muitos jogos este ano e vai, certamente, ter um futuro brilhante.

@jeheardy: Que jogador ou treinador, do passado ou do presente, gostava de ter ao seu lado ou com quem gostava de trabalhar?

Xavi: Gostava de ter jogado com o [Zinédine] Zidane ou com o Ronaldo. Tenho a felicidade de jogar pelo Barcelona e pela selecção de Espanha, por isso já tive oportunidade de trabalhar com muitos grandes jogadores e treinadores, que me ensinaram muito. Gostava de ter sido treinado por Cruyff, para ver como trabalhava, porque ouvi dizer muito bem dele. Queremos sempre conhecer as maiores estrelas e personalidades do mundo do futebol.

@patvszombies: Tem algum ritual especial antes dos jogos ou faz alguma coisa para lhe dar boa sorte?

Xavi: Não, não sou uma pessoa obsessiva a esse ponto. Tento de me concentrar ao máximo e visualizar um pouco o jogo na minha cabeça. Imagino os adversários que vou ter pela frente na minha zona do terreno e a forma como o jogo se deverá desenrolar, mas não tenho superstições.

@Caarsie: Qual foi o principal factor para o êxito da Espanha no Mundial de 2010?

Xavi: Julgo que foi a filosofia específica da equipa; querer ter a bola, querer controlar a posse de bola e manter-se sempre fiel a essa filosofia. Mesmo depois de termos perdido o primeiro jogo, após o qual toda a gente pensou que estávamos em dificuldades, mantivemo-nos fortes. Isso revelou-se fundamental. O tipo de futebol que praticamos e a nossa técnica é, talvez, o que mais nos distingue das restantes selecções.

@Rumbish: Tendo ganho (praticamente) todos os troféus que há para ganhar, o quê ou quem o motiva para continuar a jogar de forma tão brilhante?

Xavi: Um desportista, ou um futebolista, no meu caso, nunca se cansa de ganhar. Todos os desportistas querem continuar a ganhar e a ser importantes. O desporto é isso mesmo, e é essa vontade de competir que nos faz querer continuar a ganhar.

Fonte: UEFA

terça-feira, janeiro 03, 2012

Ano novo...novas conquistas!



O ano de 2011 passou velozmente, pelo menos para mim. Conclui minha faculdade de Jornalismo, escrevi meu livro, adquiri experiências que auxiliarão na minha profissão, conheci pessoas especiais e fiz novas amizades. Que ano surpreendente foi 2011! E a expectativa que surge em meu coração é a de que o ano de 2012 seja ainda mais maravilhoso. Afinal, ano novo, vida nova!

Existem àqueles que  afirmam que a vida continua a mesma a cada ano e que não faz muita diferença comemorar. Na verdade o que muda mesmo é a gente. Porque  quando um ano finda e outro inicia em seu lugar, as esperanças dentro de nós se renovam.

Assim como o sol nasce todas as manhãs, nos impulsionando a viver um novo dia, da mesma forma novos sonhos e projetos brotam em nosso coração a cada começo de ano. É um ciclo que se encerra e outro inteiramente Novo passa a existir. O desejo de que tudo seja diferente, ou melhor é o que nos leva a planejar e estabelecer objetivos. Portanto, que em 2012, novos sonhos possam verdadeiramente brotar do seu coração, pois com certeza, novas conquistas e realizações esperam por nós.

O Novo de Deus chegou pra minha e pra tua vida! Feliz 2012!!!

O que é já foi, e o que há de ser também já foi; Deus fará renovar-se o que se passou.” (Eclesiastes 3:12-15)

quarta-feira, outubro 12, 2011

Conheça o testemunho da cantora Bianca Toledo

Este testemunho me impactou! Simplesmente maravilhoso o agir de Deus na vida desta mulher. Glórias a Deus pela Recuperação dela. Por isso posto aqui no meu blog e que você seja edificado tal qual eu fui.

"Haverá dias sem respostas, noites longas também, mas o regente de todas as coisas compõe uma nova canção no silêncio" (Bianca Toledo). 

Bianca Toledo se prepara para lançar o livro contando sua história de cura e reabilitação, intitulado, "A História de um Milagre".

Bianca Toledo, cantora e compositora, cursou faculdade de música erudita e popular especializando-se em jazz e música brasileira. Nascida em Brasília, começou a cantar na infância, estudou violão e piano, e escrevia canções, mas por conta da timidez recusava-se a participar de apresentações públicas. Aos 16 anos mudou-se para Araçatuba, onde teve um encontro marcante e transformador com Deus consagrando seu talento à Ele. Foi para São Paulo aos 18 anos onde cursou faculdade de música. Participou de algumas gravações e suas canções começaram a ser gravadas.

Comprometida com a visão celular desenvolveu sua liderança e dedicou-se por muitos anos à formação de líderes e a sua paixão pelo evangelismo. Bianca participou de musicais e programas de TV como o Programa Raul Gil na Rede Record em 2002, onde ganhou o concurso “Usina de Talentos.” E descobriu que sua missão ultrapassava as paredes da igreja, alcançando também o público secular.

Em 2007 criou o projeto Reina Brasil, reunindo músicos e compositores para um resgate da cultura brasileira em celebração ao criador, divulgando-o em muitos programas de TV. No mesmo ano participou do programa Criança Esperança na Rede Globo.

Seu primeiro CD solo “O Amor prevalecerá” trouxe inovação à musica gospel com poesia e suavidade alcançando o coração daqueles que apreciam uma boa música ao estilo MPB. A cantora assina algumas composições do cd além da direção musical. Em 2010 sua vida ficou por um fio e esta experiência modificou sua trajetória gerando o projeto “A História de um milagre”, livro e documentário, onde registra os momentos em que esteve entre a vida e a morte, sua cura e reabilitação redescobrindo a vida em seus mínimos detalhes.

Confira o testemunho de Bianca Toledo 
Sempre tive o sonho de ser mãe... e este foi meu clamor por muitos anos.Desde a adolescência descobri uma endometriose, que, na época, foi tratada, mas me impedia de engravidar. No início de 2010 me mudei para o Rio de Janeiro e tive uma maravilhosa surpresa: A maternidade, a maior emoção de minha vida. Finalmente meu sonho havia se realizado!

Logo nos primeiros meses, soube que esperava um menino e o gerava sabendo que seria um profeta para as nações. Por oito meses dediquei-me integralmente à saúde e aos preparativos para receber minha herança.

Na 36ª semana, 15 dias antes da data agendada para o parto, acordei com uma dor abdominal muito forte, acreditando que chegara a hora de ter o bebê. Corremos para a maternidade, e, chegando lá, não eram sinais de parto, algo havia acontecido e ninguém sabia o que era.

Fui transferida de hospital, e novamente aguardava um diagnóstico, piorando dia a dia. A Igreja Batista Central da Barra, minha igreja, levantou um clamor junto às igrejas de todo o Brasil através das redes sociais e toda minha família veio para o Rio de Janeiro acompanhar tudo de perto.

José Vittorio nasceu no dia 11 de outubro, mas eu já estava inconsciente no parto e não pude conhecer meu filho. Meu organismo entrou em choque logo após o parto e fui submetida imediatamente a uma cirurgia que confirmou: meu intestino havia se rompido e eu tinha uma septicemia, uma infecção generalizada.

Todo meu organismo havia sido comprometido e a minha vida ficou por um fio. Meu filho foi para UTI Neonatal, e 10 dias depois para casa. Eu permaneci 52 dias em coma lutando diariamente pela vida, desenganada pelos olhos naturais, visto que havia falência de órgãos, já havia passado por 10 cirurgias no abdômen e no pulmão, feito mais de 300 transfusões de sangue, tido duas paradas cardíacas – uma de 6 e outra de mais de 8 minutos, contraído inúmeras bactérias hospitalares, inclusive a pior delas, a super bactéria chamada KPC. Inúmeros antibióticos fortíssimos foram ministrados, me deixando desfigurada e com um quadro de edema generalizado.
Os sistemas cardiovascular, respiratório e renal estavam falidos. A única esperança era um verdadeiro milagre. Os boletins médicos eram divulgados na internet diariamente e igrejas de todo o Brasil e de fora dele, se uniram em um clamor incessante pela minha vida.

Havia um relógio de oração de 24 horas preenchido por muitas pessoas que não me conheciam, mas foram escolhidas por Deus para orar por mim. Muitos pastores e ministros me visitaram no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) e lutaram pela minha vida, crendo no poder da ressurreição.

Minha pastora, Fernanda Brum, esteve presente em todo o tempo em contato com o Renato, pai do José Vittorio, e com a minha família em clamor pela minha vida em todos os lugares por onde passava com seu ministério, Profetizando às Nações.

Foram muitos dias de crescente piora. Mas eles, definitivamente, não abriram mão da minha vida. Graças à união das igrejas tivemos a maior campanha de doação de sangue do estado do Rio de Janeiro.

Enquanto as pessoas oravam por mim, vidas eram transformadas e milagres aconteciam por todo o Brasil. No início de dezembro, sai do coma, mas minha respiração era mecânica e não havia mais movimentos em meu corpo. Eu somente mexia os olhos e tentava entender o que havia acontecido comigo. A luta pela vida continuava, mas agora eu estava consciente e, por esse motivo, a angústia de minha família era maior.

Aos poucos comecei a entender o que havia acontecido, sabia que agora estava só, meu bebê não estava mais comigo. Estava presa em um leito, sem poder falar, sem me mexer, com muitas lembranças dos dias de coma, febres terríveis, longe de todos e com poucas horas de visita familiar por dia. Na maior parte do tempo, observando o movimento do CTI, sem imaginar como um dia minha vida voltaria ao normal, já que nem respirar sozinha eu podia. As horas passavam os dias passavam e eu permanecia ali, na mesma posição.

Todos que iam me visitar se impressionavam ao me ver daquela forma e muitos não continham as lágrimas. Minha aparência e meu diagnóstico eram um desafio de fé para os mais fervorosos irmãos de oração.

Passei o natal e o ano novo no leito, sem fala, praticamente sem movimento, pensando que havia uma vida lá fora, meu filho estava em algum lugar e eu estava ali ha meses, a espera de um milagre. Eu pedia ao Espírito Santo que ficasse comigo, e hoje eu sei que foi Ele quem me sustentou em todos os momentos, zelando cuidadosamente por mim.

A pastora Fernanda havia deixado um MP4 que tocava louvores e ministrações da Palavra de Deus 24 horas ao dia. E eu era alimentada por isso. Havia uma guerra pela minha vida, isso é um fato. Mas Deus não desistiu de mim.

O clamor não cessava e, no fim do ano, o desejo do coração de muitos era me ver curada e de volta a vida, com a oportunidade de conhecer meu filho e poder criá-lo. Fui transferida novamente de hospital em 31 de dezembro, quando suspenderam todos os medicamentos, meu organismo surpreendentemente reagiu.

Dia a dia comecei a apresentar melhoras e ouvir os testemunhos de oração que chegavam até mim. Comecei a acompanhar o movimento pela internet, mas ainda não falava e nem tinha perspectiva de voltar a andar ou mesmo ficar em pé.

Fazia seis horas de hemodiálise por dia, perdi meu cabelo, mas aos poucos ficava livre do respirador. Havia grandes feridas abertas no meu corpo sem perspectiva de fechar, meu abdômen ainda estava aberto e todos os dias eram buscados métodos de drenagem e cicatrização. Fui para um CTI semi-intensivo onde minha família pode passar mais tempo e o Renato dormia comigo, o que me ajudou muito, muito mesmo. Eu me comunicava através de um quadro com letras, onde apontava e formava frases, que na maioria das vezes diziam: Tenho fome, tenho sede.

Estava há meses sem um gole de água e sonhava com o dia em que voltaria a ingerir alguma coisa. Vivemos milagres diários, vencemos a infecção, as bactérias e o respirador. Meu rim estava fadado à hemodiálise definitiva ou um transplante e na última semana voltou a funcionar, para surpresa de todos, me fazendo vencer também a hemodiálise.

Recebi alta no dia 18 de fevereiro dando poucos passos apoiada, totalmente debilitada, mas com a maior expectativa de finalmente ver meu filho, que já tinha quase cinco meses. Quando cheguei em casa, olhei para ele e ele sorriu pra mim. Talvez um dia eu consiga explicar o que senti naquele momento. Eu ainda não podia tocá-lo, e permaneci assim por mais 40 dias. Não podia ser tocada por ninguém, por causa da colonização das bactérias. 
Minha reabilitação foi intensa, porque ainda não caminhava, usava uma bolsa de colostomia, e era totalmente dependente. Minha voz era muito baixa e rouca, por causa da traqueostomia e tantos meses sem falar. Tive que vencer inúmeros conflitos diários. Reaprendi a vida nos mínimos detalhes.


A perda dos cabelos, a perda da voz, as marcas no meu corpo, a construção do vínculo com meu filho. Teremos muitas oportunidades de falar sobre tudo isso, porque são experiências muito preciosas que tive e tenho tido com Deus.

O Livro A História de um Milagre registra todos estes momentos e sei que Deus tem muito a nos ensinar através desta experiência. Hoje eu posso dizer que haverá dias sem respostas, noites longas também, mas o regente de todas as coisas compõe uma nova canção no silêncio.

Devo muito ao clamor da igreja, às campanhas de doação de sangue: à união do povo de Deus e de tantas outras pessoas que não fazem parte da igreja e se comoveram buscando a Deus pela minha cura. Sou a prova viva de que Deus ouve a oração do seu povo e tem poder pra ressuscitar os mortos.

Ele é poderoso para dar, tirar e voltar a dar. Ele simplesmente É. Em cinco meses de reabilitação de forma surpreendente conquistei a independência, voltando à vida normal. Que certamente nunca mais será a mesma. Ainda Preparando minha voz com uma fonoaudióloga e seguindo com a fisioterapia. Existe um caminho ainda para a recuperação total, mas é um caminho glorioso e cheio de milagres.

Por onde passo as pessoas são tocadas por esta historia terrivelmente transformadora. E hoje eu preciso dizer ao mundo que Deus existe, envergonha a incredulidade, surpreende a ciência e eu sou a prova viva do Seu poder.
Fonte: Super Gospel